Dirigentes da FPF e jogadores do ‘Belo’ receberam auxílio do governo

p>O futebol paraibano voltou ao noticiário nacional de forma negativa neste domingo (05). Uma reportagem do Esporte Espetacular, da TV Globo, revelou que pelo menos dois dirigentes da gestão da presidente Michelle Ramalho, da Federação Paraibana de Futebol (FPF), e três jogadores do Botafogo da Paraíba receberam o auxílio emergencial de R$ 600 do governo federal para pessoas com dificuldades durante a pandemia do novo coronavírus.

Gerson Tomaz da Silva Junior, diretor de Registros e Transferências, e Thalyta Costa Gomes, vice-presidente da FPF, são apontados como beneficiários do auxílio.

De família rica na Paraíba, a neta de Rosilene Gomes, ex-presidente da FPF, Thalyta confessou ter solicitado o socorro financeiro do governo “dentro dos parâmetros legais do conceito de renda familiar previstos na execução do programa”. Diante da revelação feita pela reportagem, a dirigente afirmou que irá devolver os valores recebidos indevidamente.

Gerson Júnior também admitiu que recebeu o auxílio do governo federal. A reportagem ligou para o dirigente, que após ter confessado o recebimento, desligou o telefonema.

Jogadores do Botafogo-PB também solicitam auxílio

Três jogadores do Botafogo-PB também solicitaram o auxílio emergencial do governo federal durante a pandemia. São eles: os goleiros Jean Victor e Rhuan e o volante Rogério. Tricampeão paraibano, o time da capital é o que tem a maior folha salarial entre os clubes do estado.

Jean e Rhuan disseram que irão devolver o dinheiro recebido indevidamente, enquanto Rogério não atendeu as ligações.

O que diz a FPF

Em nota, a presidente Michelle Ramalho, da Federação Paraibana de Futebol, culpou “organizações e pessoas” pelos sucessivos escândalos no futebol local.

Ramalho diz que foi surpreendida com a reportagem e que, “não pode ser responsabilizada por atos individuais de seus colaboradores e não compactua com nenhuma irregularidade.”

E acrescenta: “Aproveitamos para reafirmar nosso compromisso com a recuperação da credibilidade do futebol paraibano, que constantemente é atacado por organizações e pessoas que tentam relacionar o nome desta Federação com fatos negativos.”

MaisPB 

você pode gostar também Mais do autor