Dirigentes e Federação se pronunciam sobre ‘Operação Cartola’

Logo após as denúncias que constavam os nomes de vários dirigentes como investigados, os 'cartolas' se pronunciaram sobre o caso

A ‘Operação Cartola’ foi deflagrada na manhã desta segunda-feira (9) visando desarticular esquemas de manipulação de resultados e escolha de árbitros nos jogos de todo futebol paraibano. Logo após as denúncias que constavam os nomes de vários dirigentes como investigados, os ‘cartolas’ se pronunciaram sobre o caso.

O presidente do Conselho do CSP, Josivaldo Alves, confirmou que está a disposição das investigações, mas criticou a forma como a Polícia Civil agiu na manhã desta segunda (9). “Se tiver algo errado é bom que se investigue, é uma coisa boa. Mas temos que ver o modus operandi. Ligaram para mim de 5h40 da manhã pedindo a chave do clube, não esperaram, arrombaram o portão, pegaram o celular do menino que estava na portaria. Já fomos prejudicados e entendemos que acontece, mas tem que ver se foi erro humano ou má-fé.

A Federação Paraibana de Futebol (FPF) divulgou uma nota oficial informando que foi surpreendida pela ação da Polícia Civil visto que já havia disponibilizado a quebra de sigilo bancário fiscal e telefônico tanto da Federação quanto do presidente Amadeu Rodrigues. A FPF ainda afirmou que a Comissão Estadual de Arbitragem (CEAF) e o Tribunal de Justiça Desportiva atuam de maneira independente. Por fim, informou que os sorteios dos árbitros são feitos ao vivo através de rede social.

O presidente do Campinense Clube, William Simões, não quis se pronunciar e disse que o Departamento Jurídico do clube se pronunciaria sobre o caso, mesmo constando seu nome pessoal na lista de investigados. O Departamento Jurídico do clube disse que o presidente da Raposa não tem nenhum temor sob qualquer ação jurídica, além de que aceitou os resultados dentro de campo e não entrou com nenhuma ação junto ao Tribunal de Justiça Desportiva.

Já o diretor de futebol do Botafogo, Francisco Sales, comentou que é preciso esperar as investigações caminharem. “Vamos esperar mais, nem sabemos o que é, ou o que estão investigando, mas tem que se aprofundar mais pra saber o realm motivo dessa investigação. Recolheram meus equipamentos eletrônicos e tudo que sei é pela imprensa. Mas estou com a consciência tranquila, não tenho o que temer”, disse o diretor.

O Botafogo divulgou nota oficial afirmando que vai colaborar com as investigações da Polícia Civil.

 

Com informações Portal Correio

 

você pode gostar também Mais do autor