Eduardo Bolsonaro se desculpa por declaração polêmica

Ele afirmou que sua citação foi mal interpretada, e que não há possibilidade da volta do AI-5

Odeputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL) usou hoje as redes sociais para comentar a polêmica entrevista que concedeu à Leda Nagle, onde foi acusado de sugerir um novo AI-5.

“Minha posição é bem confortável e eu não fico nem um pouco constrangido de pedir desculpas para qualquer pessoa que tenha se sentido ofendida ou imaginado o retorno do AI-5”, afirmou em video.

“Estão mal interpretando minha citação sobre o AI-5. Estão interpretando de maneira errada o que eu disse. Não há a possibilidade de retorno do AI-5 atualmente”, garantiu o deputado.

“Pode até ter sido uma resposta infeliz e se pudesse refazê-la faria sem citar o AI-5 pra não dar essa polêmica toda”, afirmou.

“Vivemos sob a égide da constituição de 1988 e eu fui eleito democraticamente, não há motivo para se imaginar em radicalizar. Igualmente sigo sendo parlamentar, meu trabalho é falar, parlar e é para isto que temos imunidade”, finalizou.

Entrevista

A declaração ocorreu em resposta a uma pergunta sobre a participação do Foro de São Paulo nas manifestações chilenas. Eduardo disse que dinheiro do BNDES foi usado por Cuba e Venezuela para financiar movimentos de esquerda na América Latina.

“Se a esquerda radicalizar a esse ponto, vamos precisar dar uma resposta. E essa resposta pode ser via um novo AI-5, pode ser via uma legislação aprovada via plebiscito, como ocorreu na Itália. Alguma resposta vai ter que ser dada”, afirmou.

A resposta de Eduardo veio após seu pai, Jair Bolsonaro, dizer que a responsabilidade pelas declarações eram do seu filho. “Olha, cobre você dele. Ele é independente. Tem 35 anos se eu não me engano. Mas tudo bem. Lamento… Se ele falou isso, que eu não estou sabendo, lamento, lamento muito”, afirmou.

Notícias ao Minuto 

você pode gostar também Mais do autor