Em Suzano-SP, atiradores invadem escola, matam oito e se suicidam

Segundo a PM, dois adolescentes armados e encapuzados entraram na escola em Suzano, Grande São Paulo, e efetuaram os disparos

Ao menos oito pessoas morreram e outras 23 ficaram feridas durante tiroteio dentro da Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, Grande São Paulo, durante a manhã desta quarta-feira, 13.

Segundo informações da Polícia Militar, dois adolescentes armados e encapuzados invadiram a escola e efetuaram os disparos. Até o momento a PM registrou a morte de cinco alunos, um funcionário em decorrência dos disparos, e mais uma pessoa que foi baleada fora da escola, em latrocínio em uma loja vizinha, e está passando por cirurgia neste momento.  Os criminosos teriam cometido suicídio no local. Peritos já estão dentro da escola. Imagens da Record mostram projéteis no chão do pátio da escola.

A professora Sandra Perez disse que por volta das 9h30, quando estavam no intervalo, ouviram os disparos. “Estava na sala de aula, na hora do intervalo. Pensei que fossem bombas, quando eu percebi que eram tiros fiquei lá. Só saí quando os policiais chegaram, 20 minutos depois”, disse Sandra.

” Minha filha tem muitos amigos aqui. Estou chocada. Ela estudou aqui e muitos amigos estão me ligando”, disse Derli Vilas, mãe de ex-aluna da escola.

“Meu amigo levou dois tiros. Tem 17 anos. Eu estou no terceiro ano. Estávamos no intervalo. Ouvi os tiros e vi pessoas correndo. Não se tem mais notícias dele”, disse chorando o aluno Matheus Mariano.

O governador João Doria assim que foi informado do ocorrido, cancelou toda sua agenda e se dirigiu ao local para acompanhar o trabalho de resgate e atendimento aos feridos.  Doria pediu apoio psicossocial, psicólogos, alimentação e ambulância no local para todas as vítimas e familiares.

Em nota, a Prefeitura de Suzano informou que o Pronto Socorro Municipal já recebeu crianças com ferimentos leves e os feridos com maior gravidade estão sendo encaminhados para o Hospital Luzia de Pinho Melo, em Mogi das Cruzes, e o Hospital Santa Marcelina, em Itaquaquecetuba.  A gestão municipal disse ainda que está dando suporte com equipes de emergência, como Defesa Civil, Samu e Guarda Civil Municipal.

As ações relativas ao sepultamento das vítimas serão amparadas pela prefeitura de Suzano e governo do Estado.

 

você pode gostar também Mais do autor