Secretaria de Saúde passa a não recomendar uso da hidroxicloroquina

Protocolo de condutas do paciente com Covid-19 foi publicado na edição desta quinta-feira (28) do Diário Oficial do Estado

Remédios

A Comissão Intergestores Bipartite da Secretaria de Estado da Saúde, em declaração Ad Referendum (sujeita à aceitação posterior) publicada na edição desta quinta-feira (28) do Diário Oficial do Estado (DOE), a partir da página 9, aprovou protocolo de condutas do paciente com Covid-19, algoritmo terapêutico desenvolvido pelo Centro Estadual de Disseminação de Evidências e Saúde da Covid-19. Dentre as medidas elencadas, destaca-se a não recomendação quanto à utilização de hidroxicloroquina para o tratamento da doença.

Segundo o material publicado no DOE, as evidências inicialmente promovidas pelos estudos chineses são bastante frágeis, sendo superadas com novos estudos recentemente publicados, com metodologia adequada, em seres humanos.

Ainda conforme o texto, também não se pode deixar de evidenciar que, além da ausência de benefícios do uso da cloroquina/hidroxicloroquina, a sua utilização esteve relacionada a maior mortalidade e maior incidência de efeitos colaterais em vários trabalhos.

“Diante dos novos artigos publicados em diversos periódicos médicos, e seguindo as recomendações das instituições que regem as condutas mais atuais das doenças infecciosas no Brasil e no mundo, como Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB), o Centers for Disease Control and Prevention (CDC), National Institutes of Heatlh, USA (NIH), Infectious Disease Society of America (IFSA), não recomendamos a utilização de hidroxicloroquina para tratamento de Covid-19”, conclui a comissão.

A declaração terá validade a partir da data de sua publicação até a data da próxima reunião ordinária da Comissão Intergestores Bipartite.

Portal Correio 

você pode gostar também Mais do autor